Home Arquivo por categoria: "Tecnologia"
POR Emerson Jollo 2 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

Não dá para dizer que 2014 foi um bom ano em segurança da informação, mas também não dá para dizer que foi ruim, embora brechas seríssimas tenham sido apresentadas em 2014, o ano foi marcado pela invasão de empresas – como a Sony, a Target e a Home Depot.

Pouco se teve notícia de uso prático de falhas como o Poodle ou o Heartbleed, reveladas durante o ano. São brechas graves que exigiram sim ações imediatas de desenvolvedores de software, mas não há medição concreta do dano que causaram.

O armazenamento de dados na nuvem, como apontado em 2013, foi também responsável pelo vazamento das fotos de celebridades durante o ano passado.

E o que será diferente em 2015? Bem pouco. As tendências seguem as mesmas: ainda há espaço para mais dados na nuvem. Esse comportamento é puxado pelo uso cada vez mais frequente de dispositivos móveis e consequentemente pela necessidade de sincronização entre diferentes sistemas (computadores, celulares, tablets, notebooks).

Não há nenhuma mudança estrutural prevista na internet para o curto prazo. Os principais sistemas operacionais também não planejam qualquer mudança drástica em seus recursos de segurança.

Nesse quadro, mais empresas podem sofrer ataques em 2015 e alguns deles podem ser novamente ligados a grupos vinculados a governos. Os usuários continuarão sendo a principal porta de entrada para ataques.

FONTE: baboo.com.br

Segurança digital – Crédito: Baboo.com.br

Em outro ângulo, 2015 promete facilitar o acesso a ferramentas de criptografia. É difícil dizer até que ponto essas medidas serão sentidas pelas autoridades já este ano.

O uso desse tipo de software diminuirá a eficácia de grampos, reduzindo a quantidade de dados que pode ser obtida pela interceptação de dados, seja esta legítima ou ilegítima.

A popularização dessas ferramentas e as ações policiais podem fortalecer ainda mais o debate acerca da privacidade. O uso de criptografia ainda é um terreno judicialmente complicado, e é provável que os próximos anos tragam alguma resposta: afinal, você pode ser obrigado a revelar uma senha?

Um assunto extenso e cheio de particularidades, vivemos momentos de insegurança na rede e a cada dia essa insegurança aumenta. Como profissional de Tecnologia da Informação “me ligo” bastante a este tipo de assunto e pretendo estudar e me atualizar ainda mais.

Aos interessados fica aqui um “empurrãozinho” para novas pesquisas e leituras.

PS. Procure dicas e técnicas para se proteger na rede mundial de computadores, mantenha seu antivírus atualizado, tome cuidado com o que posta na rede, lembre-se, cuidado nunca é demais. ;)

Minhas fontes de leitura foram: coluna segurança digital G1, Revista Segurança Virtual

TAGS: , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Emerson Jollo 2 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

Um navegador (ou web browser, em inglês, termo bastante utilizado pela informática) permite que usuários da Internet vejam e interajam com elementos carregados através de um site ou uma rede local. O objetivo principal do navegador é permitir acesso fácil à informação através do uso de hyperlinks, método usado para ir de página em página a partir de uma só fonte. Os navegadores mais utilizados do mundo são o Firefox da Mozilla, o Chrome da Google e o Internet Explorer da Microsoft… Eu disse Microsoft Internet Explorer?? Não isso era “antigamente”, daqui em diante será Microsoft “Spartan”, é assim que chamam o novo navegador da produtora do Windows que chegará ao mercado em breve.

Não é segredo para ninguém que o Internet Explorer não é o navegador mais popular atualmente. Chegaram informações surpreendentes nas duas últimas semanas de que o IE estaria no fim de sua longa trajetória e que um substituto tomaria o legado, o Spartan (nome provisório).

Acontece que, segundo fontes secretas, o novo browser traria recursos que não existem em nenhum dos concorrentes, como um sistema de anotações para deixar observações em uma página quando o usuário compartilhar o link com um amigo.

O OneDrive (antigo SkyDrive) ficaria responsável por armazenar todas as informações em nuvem, fazendo com que a configuração e preferências do navegador de cada usuários permanecessem iguais através de todas as plataformas equipadas com o Windows 10 (já falei sobre esse novo sistema operacional Aqui).

Spartan Microsoft – Crédito: The Hacker News

O novo browser da Micorosft deverá também chegar com a integração da assistente digital da empresa, Cortana, que deverá substituir as funcionalidades do Bing no Internet Explorer.

A assistente deverá ser capaz de verificar informações sobre coisas como hóteis e viagens através da barra de endereços do browser. O artigo que saiu recentemente no portal  The Verge revela ainda que, pelo menos inicialmente, o navegador não deverá ter suporte para temas, mas tal poderá acontecer em atualizações futuras, já que desenvolvedores poderão trabalhar em cima do novo navegador “microsoftiniano”.

Há ainda referência ao fato das tabs estarem simplificadas no Spartan numa tentativa de limpar a janela quando estámos com várias tabs abertas, sendo que os utilizadores podem agrupar tabs de acordo as as suas preferências – por exemplo, pessoais e de trabalho.

O browser irá estar disponível na Windows Store e será uma aplicação única que deverá funcionar em PCs, tablets e smartphones. A versão desktop será oferecida em separado das versões mobile, sendo que o browser irá ter um aspeto semelhante em todos os dispositivos

Neste momento, ainda não se sabe se Spartan é somente um nome de código ou o nome final do browser, sendo que são esperadas novidades no evento que a Microsoft vai realizar no próximo dia 21 de janeiro dedicado ao Windows 10 e onde Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, estará presente.

Será que a Microsoft vai conseguir tirar de vez as criticas de cima de seu navegador?

Minhas fontes de leitura: Tecmundo, Ign, Terra Tecnologia

TAGS: , , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Emerson Jollo 3 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

“Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.” – Albert Einstein

Há alguns anos, você imaginaria que uma guerra poderia estourar por causa da internet? Se seu pensamento for como o meu, a resposta será não! Mas depois dos ultimos acontecimentos mudei meu conceito sobre o assunto.

Recentemente a Sony Pictures foi invadida e teve suas produções vazadas e um prejuízo de mais de 200 milhões de dolares, até aí o ataque poderia ter sido feito por qualquer “hacker” do mundo, mas entre as produções estava o filme “A entrevista”, que mostra o líder norte-coreano ameaçado de morte, juntamente com sua “natureza coerciva”. Por esse motivo, o governo dos Estados Unidos culpou a Coreia do Norte por este ciberataque à Sony, o que chamou de ato inaceitável de intimidação, e prometeu impor “custos e consequências” aos responsáveis.

Foi a primeira vez que os EUA acusaram diretamente outro país de uma agressão cibernética desta

“Como resultado de nossa investigação, e em estreita colaboração com outros departamentos e agências do governo dos EUA, o FBI agora tem informação suficiente para concluir que o governo da Coreia do Norte é responsável por estas ações”, afirmou o FBI em um comunicado.

“As ações da Coreia do Norte pretenderam infligir dano significativo a negócios dos EUA e suprimir o direitos dos cidadãos norte-americanos de se expressarem”, disse. “Tais atos de intimidação ultrapassam os limites do comportamento aceitável de um Estado”.

O FBI declarou que uma análise técnica do malware (programa mal-intencionado) usado no ataque à Sony encontrou links para um malware que “agentes da Coreia do Norte” desenvolveram e uma “sobreposição significativa” com “outras atividades cibernéticas mal-intencionadas” ligadas anteriormente a Pyongyang.

Quatro dias após a invasão e a “promessa” dos EUA de contra-atacar (segundo o presidente dos EUA, o país asiático receberia uma resposta à altura dos ataques à Sony Pictures), a Coreia do Norte sofreu com uma queda brusca de sua rede por mais ou menos nove horas. A queda já é a pior registrada na Coreia do Norte em anos, segundo a reportagem da NYT, mas ainda assim não deve afetar exatamente a população do país. Se foi ação americana ou não, ninguém sabe.

A região tem apenas 1 024 endereços IP oficiais, e várias dessas conexões passam pela Unicom, a estatal de telecomunicações chinesa. A maior parte dos usuários da rede norte-coreana vem do alto escalão do governo e dos órgãos de imprensa, e o jornal nova-iorquino ainda inclui na lista o suposto “quadro de ciberguerreiros” treinados no país.

EUA vs Coreia

EUA vs Coreia – Fonte: Knights of Revolution

A Coreia do Norte ameaçou a realizar uma guerra em território dos Estados Unidos pelas quais considera “falsas” acusações de ter realizado o ciberataque à Sony Entertainment, por causa do filme que zomba do líder Kim Jong-un.

“O Exército e o povo da RPDC (Coreia do Norte) estão completamente preparados para um confronto com os EUA em todos os espaços de guerra, incluindo a cibernética”, expôs o regime de Kim Jong-un em comunicado publicado em inglês pela agência estatal “KCNA”

“Nosso mais duro contra-ataque será dirigido à Casa Branca, ao Pentágono e a todo o território continental dos Estados Unidos superando amplamente o contra-ataque simétrico declarado por (Barack) Obama”, afirma Pyongyang no comunicado.

A Coreia do Norte reiterou que não tem nada a ver com a agressão cibernética à Sony Pictures Entertainment e inclusive propôs ao FBI realizar uma investigação conjunta dos fatos, mas os serviços de inteligência americanos descartaram esta opção. Os EUA querem atacar por “honra”, a Coreia quer atacar por ser “caluniada”. Conhecendo os líderes como conhecemos, acho que não haverá acordo. O episódio mais recente foi a nota que o ditador norte-coreano lançou, onde compara Obama a um macaco na selva… A cada dia se torna mais grave a situação.

Onde será que isso vai chegar? Seria a internet capaz de “promover” uma Guerra entre países? E os exércitos estariam armados com armamento pesado de fogo, ou com notebooks conectados a rede?

Tomara que reine a paz, e que o mundo virtual não vire campo de batalha de governantes com egos feridos, mas sim um espaço neutro onde todos se unam por causas nobres e sociais.

Fecho o dificil ano de 2014 com este post explicativo do confronto EUA vs RPDC. E desejo um 2015 repleto de realizações, saúde, alegria, sucesso e PAZ a todos os leitores do Blog da Comunicação. Obrigado pelos clicks e pela companhia neste ano. Que venha um ano novo cheio de tecnologia e coisas boas para todos nós. Feliz Ano Novo pessoal.

Minhas fontes de leitura: NYT, Info, O Globo, Extra.

TAGS: , , , , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Emerson Jollo 3 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

Em todos os sites e portais de tecnologia que entramos, nos deparamos com alguma noticia relacionada a eles, os Drones. Segundo a Wikipedia, é um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) ou Veículo Aéreo Remotamente Pilotado (VARP), também chamado UAV (do inglês Unmanned Aerial Vehicle) e mais conhecido como Drone (zangão, em inglês), é todo e qualquer tipo de aeronave que não necessita de pilotos embarcados para ser guiada. Esses aviões são controlados a distância por meios eletrônicos e computacionais, sob a supervisão e governo humanos, ou sem a sua intervenção, por meio de Controladores Lógicos Programáveis (CLP).

Inspirados para fins militares, onde os primeiros veículos não tripulados foram empregados pela primeira vez pelos EUA em 1959 em missões espiãs,  a existência do programa de aviões só foi admitida pela força aérea americana em 1973. Os Drones chegaram ao “meio civil” com tudo, empresas apostam que esses veículos não tripulados se tornem ferramentas pessoais e sociais. Por exemplo, uma empresa  idealizou o Paparazzi, um drone que serviria para documentar a vida do usuário e postar fotos e vídeos em redes sociais.  Pense no conceito como um satélite, que gira ao redor do seu dono e, com comandos simples, registra imagens e as envia diretamente para o Facebook ou o Youtube. Com isso, as selfies, com certeza, terão uma melhor qualidade. Caso você ache ridículo ter um drone equipado com uma câmera girando ao seu redor, talvez sirva como um consolo pensar que tirar uma selfie com um tablet na frente do espelho seja ainda mais ridículo. Não é dificil imaginar (não nos dias de hoje) uma pessoa sendo seguida por um Drone documentando sua vida e colocando na internet.

Drone Portátil – Crédito: Cool Material

Outra ideia desta empresa é o Guardian Angel, conceito que seria usado por quem gosta de correr. Ele poderia filmar a pessoa durante o exercício para garantir sua segurança e monitorar seus batimentos cardíacos e outras taxas sobre seu desempenho, oferecendo dados sobre seu treinamento.

Ou seja, os usos dos drones seriam similares aos do Google Glass ou do Galaxy Gear, mas, ao contrário desses gadgets, os drones não seriam usados junto ao corpo e sim ao nosso redor – o que não foge totalmente do conceito de wearable device.

A noticia mais atual que temos envolvendo um Drone, é a de uma pizzaria em São Paulo que usou o equipamento para entregar o pedido a um cliente. O teste da pizzaria brasileira, entretanto, parece não ter agradado muito a Agência Nacional de Aviação Civil nem a Força Aérea Brasileira, que confirmaram que devem iniciar investigação do caso, uma vez que nenhuma autorização para o teste foi requerida. Com isso, é possível que o estabelecimento tenha que se explicar oficialmente. Uma regulamentação para esse tipo de aeronave está sendo produzida atualmente.

Pelo que vejo não vai demorar para que possamos financiar um drone em alguma concessionária. Rsrs Ficariamos aqui falando sobre os Drones por dias, o assunto é extenso e bastante curioso, fica a dica para pesquisas e busca de informações sobre os “zangões”.

Quanto aos prós e contras da tecnologia, são várias, mas com certeza as caracteristicas positivas vencem, desde que não inventem de assaltar com Drones, matar com Drones… Triste realidade atual.

Desejo a todos um bom natal, e que junto com papai noel venha paz, saúde e muitas felicidades. :)

Minhas fontes de leitura foram: Revista Galileu, Wikipedia, TecMundo, Terra.

TAGS: , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Emerson Jollo 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

Há alguns meses atrás eu fiz um post aqui no Blog da Comunicação como participação especial sobre a NFL no Brasil. Como super  fã e torcedor, volto a falar no assunto, dessa vez destacando a tecnologia no esporte da bola oval. Tecnologias que são utilizadas sem estragar o espetáculo, pelo contrário, deixam os jogos mais justos e os resultados mais “limpos”.

Desde o gramado até microfones nos capacetes, em 150 anos, o futebol americano evoluiu de batalhas campais em gramados improvisados para um verdadeiro show de tecnologia.

Tecnologia na NFL

NFL (NATIONAL FOOTBALL LEAGUE) – FONTE: GOOGLE IMAGENS

Listarei alguns itens “mais importantes” que deixam as partidas de futebol americano emocionantes e justas.

Gramado artificial

Boa parte do campeonato é jogada no inverno ou em estádios fechados, situações em que fica difícil manter a grama natural em bom estado. Por isso, desde os anos 70, começaram a surgir pisos sintéticos. Os primeiros eram duros e causavam contusões, hoje, porém, os gramados artificiais – chamados de “field turf” – são perfeitos, criados com fibras de polietileno, camadas acolchoadas por baixo e até mesmo raspas de borracha que simulam a terra. Existem alguns estádios com aquecedores, que não deixam a neve acumular e proporcionando um bom jogo.

Instant Replay

A primeira vez que os juízes puderam usar imagens da TV para rever uma jogada foi em 1986. Mas a tecnologia não era tão boa e o recurso foi abandonado até 1999. Desde então, os técnicos dos times podem “desafiar” o árbitro, que então revê sua marcação numa tela ao lado do campo. A NFL tem câmeras especiais para isso e o juiz também fala diretamente com o centro de arbitragens em Nova York, enquanto vê as imagens.

Tracking Tech

Em 2014, a NFL começou a testar uma espécie de GPS do tamanho de uma moeda, colocado nos shoulder pads (protetor de ombros e coluna) dos jogadores. Essa nova tecnologia permite registrar com exatidão toda a movimentação de cada atleta, fato que torna mais corretas as estatísticas de jardas e também permite saber o quanto correram e a que velocidade durante cada lance.

Microfone do Juiz

O futebol americano tem muitas regras e algumas muito complexas. Para ajudar o público no estádio e na TV a entender as marcações dos juízes, a NFL adotou em 1975 a tecnologia do microfone sem fio para o árbitro principal. A cada falta, ele liga o microfone, vira o corpo em direção à câmera principal da TV e anuncia a penalidade e quem a cometeu.

Fotografia Tática

Em 1958, cansado de ver erros de posicionamento de seu time, o dono do New York Giants, Welligton Mara, passou a escalar o teto do Yankee Stadium e, lá do alto, fotografar jogadas com uma câmera instantânea Polaroid. Ele colocava as fotos numa meia com uma pedra e arremessava para o treinador. Hoje, auxiliares técnicos fazem o mesmo trabalho, mas dentro de cabines, com câmeras digitais. As imagens saem em uma impressora ao lado do banco de reservas.

Tablets na Sideline

Em 2014, a NFL começou a testar uma nova tecnologia, para substituir as fotografias feitas do alto do estádio e impressas na sideline. São os tablets dedicados ao jogo. As imagens obtidas por auxiliares técnicos nas cabines elevadas das arquibancadas aparecem imediatamente no equipamento, que fica com o técnico. Este tablet é o Microsoft Surface, quem acompanha as transmissões pode conferir a propaganda da empresa ao lado do banco onde fica este tablet. Curiosidade:  O dono do Seattle Seahawks, time atual campeão do Super Bowl é um dos fundadores da Microsoft, Paul Allen.

Comunicação no Capacete

Com o aumento da complexidade e do número de jogadas ensaiadas, tornou-se difícil para os treinadores instruírem por sinais seus jogadores. Por isso, em 1994, a NFL liberou o uso de um ponto eletrônico no capacete do quarterback. E, em 2008, um jogador da defesa passou a ter o mesmo direito. A comunicação é aberta no fim de uma jogada e encerrada 15 segundos antes do limite para o início da próxima, impedindo que o técnico oriente o jogador com a bola em jogo.

Fones de ouvido Especiais

Alguns estádios e torcidas da NFL são famosos pelos muitos decibéis que produzem. Por isso, em 2014, os treinadores e auxiliares passaram a usar fones de ouvido especiais, com tecnologia que suprime os ruídos externos. Assim, podem se comunicar sem problemas entre si e com os jogadores que possuem pontos eletrônicos nos capacetes.

Telões Futuristas

O primeiro telão usado em eventos esportivos foi obra do beisebol, no estádio dos Los Angeles Dodgers, em 1980. Mas foi na NFL que essa tecnologia mais se desenvolveu e atingiu extremos. Hoje, o Everbank Field, estádio dos Jaguars, possui um telão HD com 120 metros de comprimento por 20 de altura – o maior do mundo. Ele mostra cenas do jogo, reportagens nos intervalos e imagens do público, captadas por 18 câmeras espalhadas pelo estádio.

Eu vejo a tecnologia com bons olhos nos esportes, muita coisa vem evoluindo neste assunto e espero que cada vez mais se torne presente no mundo esportivo, não só no futebol americano, mas no futebol, hockey, lutas e etc.

Minhas fontes de leitura sobre o assunto: ESPN, NFL.com, UOL, Esporte Interativo.

TAGS: , , ,

01 COMENTÁRIO
POR Emerson Jollo 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Emerson Jollo
tecnologia@blogdacomunicacao.com.br

Até pouco tempo atrás ela passava despercebida, mas depois de alguns acontecimentos e testemunhos ela anda vivendo na “boca do povo”. Falo neste post sobre a NSA a Agência de Segurança Americana. Alguém da agência vai ler este post, aliás eles leem tudo que está na rede.

Fundada no dia 4 de novembro de 1952, a NSA (National Security Agency) é o maior órgão de dados de criptologia do mundo. Ela está localizada no estado de Maryland, na região nordeste dos Estados Unidos, sendo responsável pela segurança do país e pela utilização de um sistema chamado de Signals Intelligence (SIGINT), que é capaz de obter interceptações e criptoanálise de dados por meio de sinais do mundo inteiro.

Como parte essencial do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, a NSA não se trata de uma agência totalmente independente, mas sim controlada pelo governo norte-americano e comandada pelo almirante de quatro estrelas da Marinha Mike Rogers, sendo ainda a maior agência do mundo no segmento e a mais importante dos EUA. O objetivo principal dos dados coletados e interceptados pela NSA é manter a segurança do país, aliados e parceiros estratégicos para os Estados Unidos.

Durante o início de suas atividades, muito pouco se sabia sobre o que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos realmente fazia. O governo, na época, negava os seus programas e ações, inclusive a sua própria existência. Por conta disso, nomes como “No Such Agency” (não existe tal agência) e “Never Say Anything” (nunca diga nada) apareceram como forma de piada e insatisfação com os segredos guardados pelos Estados Unidos. Em 1999, a BBC confirmou a existência dessa rede que foi negada pelo governo dos Estados Unidos e taxada como uma ideia conspiratória e especulativa.

NSA – FONTE: WCCFTECH.COM

Em 1982, após ter se tornado um especialista na história da NSA, o jornalista James Bamford publicou o livro The Puzzle Palace, no qual revela pela primeira vez a existência da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos.

Como parte do protocolo de segurança da NSA, os dados e informações obtidos por meio dessas interceptações raramente são divulgados. Isso permite também que muita dúvida tenha surgido em relação à agência devido à violação deliberada da privacidade de milhões de pessoas por todo o mundo. No mais recente caso de descoberta dos dados que trafegavam pelo órgão, Edward Snowden, ex-funcionário da própria NSA e da CIA, divulgou informações que revelaram que o governo norte-americano obtinha dados privados de milhões de pessoas, dentre elas líderes políticos, a exemplo das ligações interceptadas de Angela Merkel, chanceler da Alemanha, e da presidente brasileira Dilma Rousseff.

Após as revelações de Snowden, um projeto de rede de vigilância e espionagem global chamado de Echelon foi exposto como um programa que consegue supostamente monitorar 90% de todo o conteúdo gerado por meio da internet. O Echelon fazia inicialmente parte de um projeto envolvendo os “Cinco Olhos” que incluíam os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Reino Unido. Líderes de outros países já acusaram a NSA e o projeto Echelon de praticarem espionagem industrial, algo que ainda não foi possível comprovar.

Outros sistemas utilizados pela NSA para espionar o conteúdo gerado pela internet são o PRISM e o MUSCULAR. O primeiro possui colaboração das grandes empresas de tecnologia, como Google, Microsoft, Apple, Facebook e outras, que enviam dados para análise das informações. O segundo está ligado diretamente aos emails do Yahoo! e ao Gmail. Esse sistema intercepta os cabos dos data centers que levam as mensagens de email para seus destinatários.

Além disso, entre algumas das várias informações reveladas em junho de 2013 está o plano da NSA, em conjunto com o GCHQ (Government Communications Headquarters) britânico, de sabotar os sistemas de encriptação nos quais estão baseados a segurança da rede de informática global. As atividades da NSA nesse sentido incluem o enfraquecimento dos padrões de criptografia usados globalmente, sabotando os sistemas e padrões de criptologia com a finalidade de até mesmo interceptar compras feitas online, abrindo embalagens e pacotes para implementar malwares em produtos antes que esses sejam entregues aos compradores.

Diz a “lenda” e a “teoria da conspiração” que a NSA está vendo tudo o que rola na rede, eu não duvido pois para quem tem o mínimo de conhecimento em informática, sabe que os principais servidores do mundo ficam em território americano.

Quem se interessa por este tipo de assunto, pesquise e leia bastante sobre, é bem legal e algumas teorias são no mínimo mirabolantes.

PS. Caro agente da NSA que está lendo este post, pode me enviar uma Jersey do New England Patriots  meu time de coração da NFL? Juro que te pago certinho, é que aqui no Brasil é um pouco salgado o preço. :)

O texto sobre a NSA eu vi no Canaltech, você pode ver mais informações no portal.

Minhas fontes de leitura foram:  Revista Info, CanalTech, Wikipédia

TAGS: , , ,

01 COMENTÁRIO

Você é a favor da reforma política?
 
 
Powered by Hotcourses Brasil
 
ApostasOnline.com: Apostas de futebol nos campeonatos brasileiros e mundiais