POR Editores BGC 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

O golaço de Van Persie foi um dos momentos marcantes da Copa de 2014 – Crédito: Bernat Armangue/AP Photo

A 50ª edição do Comunicast, o podcast oficial do Blog da Comunicação faz um balanço da primeira fase da Copa do Mundo 2014, que teve uma incrível média de gols e ótimas partidas. No programa a equipe também faz prognósticos das oitavas de finais da competição e dá seus pitacos. A atração é apresentada por Guilherme Freitas e comentada pelos colunistas xarás Felipe Freitas e Felippe Ferro.

Confira a 50ª edição do Comunicast. Tempo total de 40min54s:

Imagem de Amostra do You Tube

TAGS: , , , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Maíra Masiero 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Maíra Masiero
entretenimento@blogdacomunicacao.com.br

Nem só de Copa do Mundo vive o homem neste mês: assim como a primeira fase da competição se encerrou ontem, dia 26, na última quarta-feira, completou-se o quinto aniversário do encerramento (nem um pouco feliz) de uma carreira com muitos altos e baixos e de uma vida marcada pelas polêmicas e pelos sucessos.

Michael Jackson, chamado por muitos de “O Rei do Pop”, pode até ter saído fisicamente de cena em 25 de junho de 2009, no mesmo dia em que, cinco anos depois, a Bósnia venceria sua primeira partida em Copas, mas seu legado musical como influência para a geração pop se perpetua ao longo dos tempos.

Michael Jackson realizando passos de dança durante show. Fonte: Terra

Para se ter uma ideia da relevância da obra desse cantor, desde o seu falecimento, foram lançados dois álbuns póstumos com músicas inéditas e que chegaram a liderar paradas de sucesso nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia. Segundo informações da Associação Brasileira dos Produtores de Discos, o segundo álbum desta série (“Xscape”, 2014) chegou ao segundo lugar no nosso país, o que é um feito considerável, pela vasta concorrência de artistas (ainda vivos) que estão no mercado.

Em relação ao cenário financeiro, a revista americana Forbes lançou, em novembro de 2013, uma lista das celebridades mortas que mais lucraram no mundo, e o Rei do Pop encabeça o ranking pela terceira vez desde o seu falecimento, pois seus herdeiros ganharam US$ 160 milhões entre junho de 2012 e junho de 2013, superando os US$ 125 milhões embolsados pela cantora Madonna, a artista viva que mais lucrou neste período citado. Talvez o cantor esteja “ganhando” mais depois da morte do que no seu início de carreira, tamanha a obra póstuma lançada desde 2009.

O que importa é que Michael Jackson continua vivo para o mercado fonográfico e, principalmente, para milhões de fãs espalhados pelo mundo que não se cansam de ouvir “Billie Jean”, “We Are The World”, “You Are Not Alone”, “Thriller”, dentre outros sucessos eternizados pelo Rei do Pop.

TAGS: , ,

01 COMENTÁRIO
POR Guilherme Freitas 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Guilherme Freitas
esportes@blogdacomunicacao.com.br

A Copa do Mundo reúne os melhores jogadores e as melhores seleções de futebol a cada quatro anos. Porém, nem sempre os melhores chegam mais longe. Nesta Copa campeões e favoritos já ficaram pelo caminho: Inglaterra, Itália e Espanha já voltaram para a Europa ao caírem na primeira fase. As famosas zebras, que costumam dar as caras em Mundiais, já apareceram. E para quem acompanha futebol sabe que isso faz parte da história dessa competição, afinal, nos últimos 20 anos as zebras sempre passearam dentro de campo. Costa Rica e Grécia são agora a bola da vez.

Ninguém esperava que os costarriquenhos iriam sair ilesos dos grupo da morte. Afinal, eram tidos como os mais fracos do grupo D. Porém, a frágil Costa Rica bateu Uruguai, Itália e Inglaterra e passou como primeira colocada de seu grupo. A Grécia, considerada como uma das equipes menos técnicas do Mundial, superou no último minuto a badalada Costa do Marfim e esta pela primeira vez na história nas oitavas. Gregos e costarriquenhos se enfrentarão agora e um deles estará nas quartas. E quem sabe sonhando com um lugar na semifinal.

O capitão Bryan Ruiz fez o gol da classificação costarriquenha – Crédito: AP Photo

Poderiam repetir o feito de Coreia do Sul e Turquia, que em 2002 conseguiram chegar até esta fase e depois decidiram o terceiro lugar. E aquele Mundial foi um dos mais “improváveis” da história com muitas zebras e surpresas. Até porque, Estados Unidos e Senegal também chegaram as quartas, passando por seleções mais tradicionais como França, Uruguai, Suécia e Portugal. Nas Copas passadas também tivemos surpresas. Em 2006 a Ucrânia chegou as quartas, assim como em 2010 quando Paraguai e Gana que deram muito trabalho para espanhóis e uruguaios até serem eliminados.

A Copa de 1994 foi similar a de 2002, pois Bulgária e Suécia chegaram a ficar entre os quatro melhores. Os búlgaros foram empurrados pelo artilheiro Hristo Stoichkov e os suecos apresentaram um time bastante sólido e equilibrado e por pouco não tiraram o Brasil da final. Feito similar da Croácia quatro anos depois que sonhou em estar na decisão, mas sucumbiu diante da anfitriã França em sua primeira participação em Mundiais.

Samaras comemora seu gol, que classificou a Grécia – Crédito: Divulgação

Copa do Mundo é isso mesmo. Grandes times e craques estão em campo, mas sempre acontecem surpresas e zebras. Talvez por isso essa competição seja tão apaixonante e eletrizante.

TAGS: , , , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Colaboradores Especiais 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Monique Rodrigues *
convidados@blogdacomunicacao.com.br

O Brasil é o oitavo país mais extenso do mundo, ocupando 1,6% da superfície terrestre, o que corresponde quase 9 milhões de km². Assim temos uma vasta área de estradas que durante muitos anos serviram para a expansão socioeconômica do Brasil. As estradas, que existem habitualmente como vias de ligação, estão, quase sempre, dentro de áreas verdes que abrigam uma grande parte da diversidade ecológica natural do lugar, rodeando áreas de preservação ambiental, constituindo grande parte da fauna e flora brasileira, nesse contexto cresce cada vez mais a implementação das Estradas Parques, como solução sustentável para as vias de proteção do meio ambiente em seu estado seminatural.

Um exemplo de Estrada Parque no Pantanal – Crédito: Divulgação

O conceito que define as Estradas Parques nasceu nos anos 70, através da percepção de ambientalistas que notaram a importância da conservação das vias no entorno das unidades de preservação, com isso a construção dessas rotas naturais aconteceram buscando agregar, além das questões ambientais, valores educacionais, culturais e recreativos, incentivando e popularizando o contato com a natureza, durante muitos anos esse foi um processo lento na sua gestão, mas atualmente, com o aumento da degradação ambiental, essa tem sido uma excelente saída em muitas áreas. As Estradas Parques são implementadas em áreas onde existe maior incidência turística, e paralelamente maior fluxo de impactos negativos a biodiversidade, mas a cada nova experiência compartilhada essa prática vem comprovando sua eficácia, porque as pessoas passam admirar e perceber a vida natural com outros olhos.

Alguns estados como Mato Grosso, Bahia, São Paulo, Paraná, Goiás, já tem fortemente desenvolvido, nas suas principais vias, o sistema de parques integrando as unidades de conservação, meio ambiente natural e ecoturismo. Assim, essas áreas ganham cada vez mais destaque pelos bons resultados que geram. Embora seja um excelente meio de renovação ambiental, esse ainda é um caminho que necessita de estudo e aprimoramento das técnicas, porque o Brasil possui uma extrema multiplicidade na sua cultura, e o grande fundamento da nova maneira de lidar com a natureza vem do respeito a essência do que aquele lugar precisa para transformar, muito parecido com nós seres humanos que precisamos estar no meio exato para desenvolver nossas mais profundas potencialidades.

Cartaz de Estrada Parque em Visconde de Mauá – Crédito: Divulgação

A gestão de alguns dos mais importantes projetos de Estradas Parques estão acontecendo com a coordenação da ONG S.O.S Mata Atlântica que desenvolve trabalhos essenciais na luta contra o desmatamento, a extinção de espécies da fauna e da flora, além de atuar em vários projetos que disseminam a educação ambiental. Deixo também um videozinho do youtube que especifica o projeto de Estrada Parque que contemplou a cidade do Rio de Janeiro, serve como informação e conhecimento de uma prática que depende muito da educação e consciência de todos para a funcionalidade dos projetos. Conheça e espalhe lindos caminhos naturais que temos em nosso país.

Imagem de Amostra do You Tube

* Monique Rodrigues é diretora de arte e pesquisadora dos temas voltados ao meio ambiente

TAGS: , , , , ,

0 COMENTÁRIOS
POR Nágila Rodrigues 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Nágila Rodrigues
esportes@blogdacomunicacao.com.br

Mania? Descontrole? O que leva Luis Suárez a atacar com mordidas seus adversários? O último episódio, ocorrido na partida da Copa do Mundo, entre Uruguai e Itália, chamou mais uma vez a atenção da mídia. Suárez mordeu o ombro do zagueiro italiano Chiellini e o lance foi a grande sensação do jogo, muito mais comentado que o futebol das duas equipes. E claro, virou alvo de piadas na internet.

Meme criado por internauta – Crédito: Reprodução

O  intrigante é que o atacante uruguaio havia feito o mesmo em 2010, com Otman Bakkal do PSV, sendo inclusive suspenso por algum tempo dos jogos. Na época Suárez jogava no Ajax. Recentemente, em 2013 ele mordeu o zagueiro do Chelsea Ivanovic e também foi suspenso, dessa vez por dez jogos.

Outro meme de Suárez, agora com a máscara de Hannibal Lecter – Crédito: Reprodução

A Fifa promete investigar o caso e tomar iniciativas a respeito. Suárez declarou sobre o ocorrido que foi “um lance normal de jogo”. No entanto, logo após a polêmica mordida em Ivanovic, no ano passado, Sebastián Bauzá, presidente da Federação Uruguaia de Futebol, comentou que Suárez o procurou pedindo acompanhamento psicológico, pois temia o fim precoce de sua carreira.

É, parece que Suárez não concluiu o tratamento. E você leitor, acha que Suárez merece punição após o jogo ter sido encerrado? Afinal o juiz não acompanhou o lance em jogo e não deu a mínima para a marca de mordida no ombro de Chiellini.

TAGS: , , , ,

2 COMENTÁRIOS
POR Guilherme Freitas 4 MESES ATRÁS
COMPARTILHE

por Guilherme Freitas
esportes@blogdacomunicacao.com.br

Em 1994 a seleção brasileira fez uma mudança tática importante para arrancar para o tetracampeonato. Carlos Alberto Parreira optou por sacar o meia ofensivo e capitão do time Raí na quarta partida e colocar o volante Mazinho em seu lugar. A mudança deu mais segurança e solidez defensiva ao time que chegou a final. Em 2002, mais uma mudança no meio do torneio. Luiz Felipe Scolari sacou o meia ofensivo Juninho Paulista, que não empolgava, e colocou em seu lugar o jovem volante Kleberson. De novo a troca deu certo. Com Kleberson a equipe ficou maus segura defensivamente e havia mais velocidade na saída de bola. Agora, parece que mais uma vez teremos uma mudança na equipe.

E o escolhido para sair do time é o volante Paulinho. Na Copa das Confederações ele desempenhava múltiplas funções. Ajudava na marcação pelo meio, cobria os avanços dos laterais e ainda subia ao ataque para tentar fazer gols. Era o motorzinho da seleção brasileira e o cara que dava estabilidade ao setor. Na época estava voando no Corinthians e junto com Neymar, ainda no Santos, era tido como o grande craque do futebol brasileiro. Mas ele não é mais o mesmo. Negociado com o Tottenham, sua temporada na Inglaterra foi muito fraca e ele perdeu aquele vigor físico de antes. E agora Felipão já tem em mente a melhor opção para substituí-lo.

Fernandinho comemora seu gol contra Camarões – Crédito: Dominic Ebenbichler/Reuters

Essa opção é Fernandinho, que também atua na Inglaterra. Campeão inglês com o Manchester City em sua primeira temporada na Premier League, o volante jogou todo o segundo tempo contra Camarões no lugar de Paulinho. E deu conta do recado. Recuperou bolas, deu segurança para que Daniel Alves pudesse avançar e teve números melhores que o titular da posição. Ainda por cima, começou a jogada do terceiro gol da seleção e ainda balançou as redes, definindo o placar em 4 a 1.

Fernandinho esta muito melhor que Paulinho. Ambos chegaram nesta temporada a Inglaterra e quem acompanhou a Premier League pode ver a diferença entre ambos. Enquanto Paulinho tinha dificuldades para se encaixar no time do Tottenham, Fernandinho tornou-se titular absoluto do City. O camisa 5 da seleção praticamente ganhou a posição e deve ser titular diante do Chile nas oitavas. Somente o destino vai nos dizer se essa troca será vitoriosa como foi com Mazinho e Kleberson. Porém, pelo que vimos ao longo da temporada europeia e no segundo tempo contra Camarões a troca é positiva. Veio tarde, mas veio. A seleção agora terá um meio campo mais sólido e equilibrado. Pior para os adversários.

TAGS: , , , , ,

0 COMENTÁRIOS
 
 
 
Powered by Hotcourses Brasil
 
ApostasOnline.com: Apostas de futebol nos campeonatos brasileiros e mundiais